Glaucoma

glaucoma é uma doença bastante séria, causa principal de cegueira irreversível no mundo. No Brasil, estima-se que cerca de 3 milhões pessoas sofram deste mal. Cerca de 100 mil perdem a visão por isso. É uma doença silenciosa, quer dizer, não apresenta sintomas, o que faz com que somente menos da metade das pessoas afetadas saibam que tem glaucoma.

O humor aquoso, produzido na parte anterior do olho, é fornecido em quantidade moderada. A pressão intraocular do indivíduo está entre 10 e 21,5 mmHg, em geral.

O glaucoma afeta o nervo da visão, o chamado nervo óptico, estrutura formada por cerca de um milhão de fibras nervosas que provêm da retina, captando as imagens do nosso campo de visão. Essas fibras seguem um trajeto pelo nervo até o cérebro, onde as imagens são processadas e interpretadas.

Causas e tipos

No glaucoma, o humor aquoso é produzido em excesso, aumentando a pressão intraocular, criando assim um bloqueio deste fluido no olho, causando escurecimento e perda de visão periférica. Algumas vezes, o paciente não nota o problema mesmo com os primeiros sinais manifestados.

A principal origem do glaucoma é o aumento da pressão intraocular, que lentamente mata as fibras nervosas que compõem o nervo óptico, leva a uma perda de todas as fibras e posteriormente à cegueira irreversível.

Os principais tipos dessa doença são o glaucoma de ângulo aberto e o glaucoma de ângulo fechado.

No glaucoma de ângulo aberto, o mais comum, a principal causa é o processo gradual de envelhecimento do trabeculado, órgão através do qual o humor aquoso, líquido produzido dentro do olho, escoa para fora do órgão via circulação venosa. À medida que esse escoamento fica mais difícil, o humor aquoso se acumula dentro do olho, fazendo a pressão interna do globo ocular aumentar. Neste tipo de glaucoma, as pressões oculares elevam-se um pouco acima dos níveis normais (de 9,0 a 21,0 mmHg), e o dano ao nervo óptico é lento e progressivo.

No glaucoma de ângulo fechado ocorre a obstrução do fluxo de humor aquoso causada pela própria íris do paciente e acomete pessoas que têm um globo ocular de dimensões menores que as normais. Ao contrário do glaucoma de ângulo aberto, que é assintomático, o glaucoma de ângulo fechado pode causar dores crônicas ao redor dos olhos, principalmente de madrugada ou pela manhã. Pode também causar uma crise aguda, com dor extrema e diminuição drástica da visão, o que normalmente faz o paciente procurar um pronto-socorro. A perda da visão neste tipo de glaucoma é mais rápida.

Tratamento

Os glaucomas podem ser tratados de diversas maneiras, de acordo com suas causas e origens. Para o glaucoma de ângulo aberto, normalmente são indicados os colírios, que podem ser de 4 diferentes tipos. A cirurgia é indicada apenas em último caso.

Para o glaucoma de ângulo fechado, o tratamento inicial consiste em uma pequena incisão na íris com uso da técnica de raio laser (iridectomia periférica a laser).

Brasília Glaucoma Center adquiriu recentemente um revolucionário aparelho para cirurgias a laser que pode substituir colírios no tratamento dos glaucomas de ângulo aberto.

As cirurgias convencionais são indicadas apenas para os casos em que nenhuma terapia citada anteriormente, colírios ou laser, seja capaz de frear a evolução da doença.

As formas de tratamento incluem remédios, colírios e, em último caso, cirurgia.